Oposição síria busca retirada de 'criminoso' Assad em reunião na Suíça

Um alto representante do grupo de oposição síria Coalizão Nacional disse nesta terça-feira que será solicitada a retirada do poder do presidente "criminoso" Bashar al-Assad Durante reunião na Suíça.

Reuters

21 de janeiro de 2014 | 14h48

Badr Jamous, secretário-geral da Coalizão Nacional e membro da equipe de negociações, declarou à Reuters ao chegar à Suíça, antes das reuniões para discutir uma saída para a paz: "Nós estamos aqui para lutar uma batalha diplomática, para alcançar os objetivos da revolução síria e os anseios do povo da Síria".

"Não aceitaremos menos que a retirada (do governo) do criminoso Bashar al-Assad e uma mudança de regime e responsabilização dos assassinos."

Ao se referir a imagens supostamente feitas por um fotógrafo da polícia militar síria que pareciam mostrar a tortura sistemática e matança de milhares de detidos, Jamous disse: "As imagens que nós vimos nos últimos dias indicam que este regime não merece menos do que ser colocado em julgamento perante o Tribunal Penal Internacional."

Jamous pretende reunir-se com autoridades da Organização das Nações Unidas (ONU) antes da abertura da reunião ministerial em Montreux na quarta-feira, que será seguida de negociações diretas com o governo da Síria em Genebra, na sexta-feira.

As negociações devem ter poucas chances de sucesso em seu objetivo de encerrar a guerra civil na Síria. Assad diz que o único assunto a ser discutido deve ser o combate ao terrorismo, rótulo que usa para classificar a oposição armada.

(Reportagem de Khaled Yacoub Oweis)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAOPOSICAOASSADCRIMINOSO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.