Goran Tomasevic/Reuters
Goran Tomasevic/Reuters

Organização da Conferência Islâmica decide suspender a Síria, diz fonte

Medida tem caráter mais simbólico do que prático; Irã foi contra

Reuters

13 de agosto de 2012 | 19h19

JIDÁ - Chanceleres de países da Organização da Conferência Islâmica (OCI) decidiram nesta segunda-feira, 13, suspender a Síria dos seus quadros, disse uma fonte do grupo, em uma medida que isola ainda mais o governo de Bashar Assad. "A sessão acaba de terminar. Os ministros adotaram resoluções, incluindo a suspensão da Síria", disse a fonte à Reuters.

Veja também:

link Presidente do Irã pede unidade islâmica antes de cúpula regional

link Irã pede solução negociada para guerra civil na Síria

A OCI reúne 56 Estados, mais a Autoridade Palestina, com o objetivo de representar os interesses muçulmanos no mundo. A suspensão da Síria é uma resposta à repressão contra uma rebelião iniciada há 17 meses.

A medida terá um caráter mais simbólico do que prático para o governo de Assad, que nunca enfatizou o lado religioso, e que continuará tendo o apoio do Irã, contrário a suspensão.

O chanceler iraniano, Ali Akbar Salehi, disse a jornalistas antes da reunião em Jidá, na Arábia Saudita, que suspender a Síria "não significa que você esteja se encaminhando para resolver a questão - significa que você está apagando a questão. Queremos realmente resolver a questão."

Os ministros realizam discussões preparatórias antes de uma cúpula de dois dias da OCI na vizinha Meca. O encontro extraordinário foi convocado neste mês pelo rei saudita, Abdullah.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.