Otan apoia ONU após denúncia de fraude nas eleições afegãs

Resultados provisórios dop pleito do dia 20 de agosto deram vitória ao atual chefe de Estado, Hamid Karzai

Efe

12 de outubro de 2009 | 08h07

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Anders Fogh Rasmussen, expressou nesta segunda, 12, seu apoio "total" à missão da ONU no Afeganistão em relação ao processo eleitoral, no qual, segundo a organização, houve uma "fraude generalizada".

 

"A Otan apoia completamente a missão de assistência das Nações Unidas no Afeganistão, incluindo seu papel, de acordo com seu mandato, para apoiar as eleições afegãs", afirma Rasmussen, em comunicado.

 

Em seguida, ressalta sua "absoluta confiança" e a da Aliança no representante espacial do secretário-geral das Nações Unidas, Kai Eide, sobre quem elogiou seu "esforço e compromisso para construir um melhor futuro para o Afeganistão".

 

Eide admitiu no domingo que, durante as eleições presidenciais afegãos de 20 de agosto, cujos resultados provisórios deram a vitória ao atual chefe de Estado, Hamid Karzai, aconteceu uma "fraude generalizada".

 

"O alcance desta fraude está sendo agora analisado (...). Não há como saber, neste momento, que nível de fraude houve. Só posso dizer que foi uma fraude generalizada", declarou, em entrevista coletiva em Cabul.

 

O chefe da Missão de Assistência da ONU no Afeganistão (Unama) disse que "qualquer dado concreto" que possa apresentar sobre o impacto desta fraude no resultado eleitoral seria "pura especulação", já que atualmente está em andamento uma nova apuração parcial, por causa das denúncias de irregularidades.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoOtaneleiçõesfraude

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.