Otan deve intensificar ação na Líbia, diz oficial britânico

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) precisa ampliar seus alvos de ataque na Líbia ou corre o risco de fracassar no esforço de retirar o líder Muammar Gaddafi do poder, disse o oficial máximo do Exército britânico no domingo.

REUTERS

15 de maio de 2011 | 11h54

O general David Richards sugeriu em entrevista que a Otan deveria atacar a infra-estrutura da Líbia, que ainda não está na lista de alvos.

A Otan está bombardeando a Líbia com mandato das Nações Unidas para proteger civis e diz que mira apenas alvos militares.

Líderes da Grã-Bretanha, França e Estados Unidos afirmam que não irão parar com a campanha militar até que Gaddafi deixe o poder.

Richards disse que a campanha militar até agora teve um "sucesso significativo", mas que é preciso fazer mais.

"Se não elevarmos a aposta agora, existe o risco de Gaddafi continuar no poder", teria dito o general ao jornal Sunday Telegraph.

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAOTAN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.