Otan duvida que mundo consiga deter ambições nucleares do Irã

Jaap de Hoop Scheffer, secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), afirmou na segunda-feira não ter certeza sobre a capacidade do mundo de evitar que o Irã desenvolva bombas nucleares. Em uma entrevista coletiva realizada no sudeste da França, Scheffer disse que a Otan não poderia desempenhar qualquer papel nessa questão. Mas ressaltou estar preocupado com o fato de a Organização das Nações Unidas (ONU) não ter conseguido, até agora, coibir as ambições nucleares do governo iraniano. "Trata-se de um grande desafio esse de evitar que o Irã continue a caminhar rumo à bomba", disse Scheffer durante uma Conferência de Política Mundial organizada pelo grupo francês de pesquisa Ifri. "Não tenho certeza sobre a capacidade do mundo de impedir o Irã de materializar suas ambições", acrescentou. O Irã afirma que seu programa de enriquecimento de urânio visa exclusivamente à produção de energia elétrica. No entanto, o país sofre atualmente sanções da ONU por ter realizado atividades sem declará-las e por não ter conseguido provar que seu programa é totalmente pacífico. No mês passado, o Conselho de Segurança da ONU ordenou novamente que o Irã "obedeça totalmente e sem demora" às exigências sobre paralisar o enriquecimento de urânio. O órgão, porém, não adotou um novo pacote de sanções conforme desejavam os EUA e seus aliados da Europa Ocidental. "Minha preocupação é a de que o Conselho de Segurança, enquanto falamos, seja na verdade incapaz de chegar a novas conclusões ou de adotar novas sanções", afirmou Scheffer. Como resultado das atividades nucleares do Irã, Israel nunca abandonará seu "suposto arsenal nuclear", disse o chefe da Otan. O Estado judaico possuiria o único arsenal de armas atômicas do Oriente Médio. O país, no entanto, nunca assumiu isso formalmente. "Conforme sabemos, Israel nunca admitiu ter esse tipo de armamento, mas eu não vejo muitos argumentos para que o Estado judaico abandone seu arsenal", afirmou. Scheffer acrescentou estar igualmente preocupado com os esforços do Irã para desenvolver sua tecnologia de mísseis. "Algo tão perigoso quanto isso (o programa nuclear) é a tecnologia de mísseis que o Irã também está desenvolvendo em grande velocidade", disse. "Isso se tornará uma questão para a segurança dos EUA e, claro, da Europa." O Irã dispõe de vários mísseis de médio alcance, os quais, segundo especialistas, poderiam atingir Israel. O governo iraniano afirmou ainda estar desenvolvendo mísseis de longo alcance. (Reportagem de Crispian Balmer)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.