Otan faz ataques a mísseis em área de base de Gaddafi

A Otan realizou uma série de ataques com mísseis contra alvos na região de Trípoli nesta terça-feira que pareceram incluir a base do líder da Líbia Muammar Gaddafi, segundo testemunhas.

GUY DESMOND, REUTERS

10 de maio de 2011 | 09h15

Gaddafi não faz aparições públicas desde o dia 30 de abril quando um ataque aéreo da Otan atingiu uma casa na capital e matou o seu filho mais jovem e três dos seus netos.

Representantes do governo líbio disseram que outras quatro crianças ficaram feridas, duas delas estão em estado grave, pelos estilhaços de vidro gerados pelos ataques da Otan na região de Trípoli durante a noite.

Eles mostraram aos jornalistas estrangeiros um hospital na capital da Líbia que teve algumas janelas destruídas, aparentemente por conta das ondas de choque de um ataque da Otan que destruiu uma torre de telecomunicações próxima.

Os jornalistas também foram levados ao também destruído prédio do governo que mantém a secretaria para crianças. O antigo prédio colonial já tinha sido atingido anteriormente por um ataque da Otan no dia 30 de abril, de acordo com as autoridades do governo.

"A direção de pelo menos uma das explosões sugere que a base de Gaddafi foi atacada", disse uma das testemunhas.

Nenhuma outra informação estava disponível. Mas a onda de ataques em Trípoli acontece no momento em que o conflito entre os insurgentes e Gaddafi estava em um impasse e o dilema resultante para as potências ocidentais era sobre oferecer ou não assistência aos rebeldes.

Na segunda, rebeldes disseram que a Otan bombardeou depósitos de armas do governo em quatro ocasiões diferentes no mesmo dia em uma área 30 km ao sudeste de Zintan, uma cidade na região das montanhas do oeste do país próxima da Tunísia.

"Aquela área tem 72 hangares subterrâneos feitos de concreto reforçado. Não sabemos quantos foram destruídos, mas a cada momento que os caças atacaram, muitas explosões foram ouvidas", disse um porta-voz dos rebeldes que pediu para ser chamado por Abdulrahman por telefone.

Outro porta-voz dos rebeldes disse que os aviões também atacaram ao redor de Tamina e Chantine, leste de Misrata, locais onde os rebeldes estão sendo pressionados com um cerco na única cidade que eles controlam na parte oeste da Líbia.

As forças de Gaddafi conduziram um feroz ataque em Misrata e centenas foram mortos na batalha que já dura semanas.

O jornal de oposição Brnieq disse que os rebeldes líbios estavam liderando um levante nos subúrbios de Trípoli depois de receberem armamento leve de soldados das forças de segurança que desertaram.

A reportagem no site do jornal não pôde ser confirmada por fontes independentes. Um repórter da Reuters disse que não ouviu disparos na região e um representante do governo negou a reportagem.

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAOTANGADDAFI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.