Otan mata 50 combatentes em campo de treinamento no Afeganistão

Insurgentes pertenciam à rede Haqqani, que atua no leste do país; armas foram apreendidas

Reuters

22 de julho de 2011 | 15h40

BRUXELAS - Tropas estrangeiras e forças especiais afegãs mataram mais de 50 insurgentes durante uma operação no leste do Afeganistão em um campo de treinamento usado pela rede Haqqani para combatentes estrangeiros, informou a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) nesta sexta-feira, 22.

 

Veja também:

especialTrês décadas de violência no Afeganistão

 

A rede Haqqani, considerada um dos grupos militantes mais perigosos do Afeganistão, foi responsável por diversos ataques de grande repercussão, incluindo uma incursão violenta no hotel Intercontinental de Cabul em junho, disse a Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf, na sigla em inglês), liderada pela Otan, em um comunicado.

 

Ao menos nove pessoas morreram em 28 de junho, quando nove homens fortemente armados invadiram o hotel Intercontinental de Cabul, frequentado por ocidentais e autoridades.

 

Insurgentes contaram às forças de segurança onde o acampamento da rede Haqqani estava localizado na província de Paktika, no leste do país, e a operação começou na noite de quarta-feira e terminou na manhã de sexta-feira, informou a coalizão. "O local do campo era um ponto de passagem para combatentes do Haqqani e estrangeiros. Esses combatentes mudaram-se para o país e os insurgentes do Haqqani planejavam usá-los em ataques por todo o Afeganistão", informou a Isaf.

 

As forças de segurança apreenderam estoques de armas, incluindo morteiros, granadas para serem lançadas por foguetes, metralhadoras com munição, fuzis AK-47, granadas e uniforme militar, disse a Isaf.

 

Civis

Também na sexta-feira, cinco civis afegãos foram mortos na província de Faryab, no norte do país, quando o veículo em que estavam atingiram uma bomba, disse Sayed Masood Yaqubi, porta-voz do policial chefe da província.

Tudo o que sabemos sobre:
EfeganistãoOtanHaqqaniterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.