Otan vai cumprir zona de exclusão aérea na Líbia, diz Rasmussen

Os países membros da Otan concordaram na quinta-feira em cumprir a zona de exclusão aérea sobre a Líbia a fim de proteger os civis das forças do líder líbio, Muammar Gaddafi, afirmou a repórteres o secretário-geral da entidade, Anders Fogh Rasmussen.

REUTERS

24 de março de 2011 | 20h15

Ele disse que o mandato da aliança militar liderada pelos Estados Unidos não vai além da zona de exclusão aérea, mas que a Otan também poderá agir em defesa própria.

Ele parecia contradizer uma declaração anterior do chanceler da Turquia, segundo a qual a Otan assumiria o comando de todas as operações militares da coalizão ocidental na Líbia.

"Neste momento, ainda haverá uma operação da coalizão e a operação da Otan", afirmou Rasmussen, acrescentando que as negociações sobre uma possível ampliação do papel da Organização do Tratado do Atlântico Norte continuavam.

(Reportagem de David Brunnstrom)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAOTANDECIDE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.