Otan vai investigar ataque aéreo que matou criança no Afeganistão

A força liderada pela Otan no Afeganistão disse que vai investigar o ataque aéreo de quinta-feira em Helmand que, segundo autoridades, matou uma criança e agravou ainda mais as diferenças entre o governo afegão e os Estados Unidos.

Reuters

29 de novembro de 2013 | 07h45

"A Isaf lamenta profundamente qualquer vítima civil causada por este ataque aéreo", disse em comunicado a Força Internacional de Assistência para Segurança (Isaf, na sigla em inglês).

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, disse que a morte demonstrou que os Estados Unidos não respeitam a vida de civis afegãos. Karzai afirmou que, se os ataques continuarem, ele não vai assinar um acordo bilateral de segurança com os EUA.

Disputas sobre o acordo já duram cerca de um ano. O pacto tem como objetivo determinar como será a presença militar norte-americana no Afeganistão após 2014, quando a maioria das forças estrangeiras deixará o país. Sem o acordo, autoridades norte-americana alertaram que os EUA vão retirar todas as tropas do Afeganistão.

(Reportagem de Jessica Donati)

Mais conteúdo sobre:
AFEGANISTAOOTANINVESTIGACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.