Países em guerra são os mais corruptos do mundo, diz estudo

Somália, Afeganistão e Iraque estão entre os piores; Brasil melhora 5 posições, diz Transparência Internacional

estadao.com.br,

17 Novembro 2009 | 10h16

Os países onde há conflitos armados em andamento continuam figurando entre os vistos como mais corruptos do mundo, informa o novo relatório anual da Transparência Internacional sobre corrupção. Somália, Afeganistão, Mianmar, Sudão e Iraque ocupam as piores posições no ranking, segundo o estudo, elaborado com base na percepção de corrupção no setor público em 180 países e em sondagens com empresários e especialistas.

 

"Esses resultados demonstram que os países percebidos como os mais corruptos são também aqueles afetados por antigos conflitos, que devastaram sua estrutura de governança", diz nota divulgada pela entidade. "Quando instituições essenciais são fracas ou inexistentes, a corrupção sai de controle e o despojo dos recursos públicos alimenta a insegurança e a impunidade", prossegue o comunicado.

 

Na outra ponta, Nova Zelândia, Dinamarca, Cingapura, Suécia e Suíça figuram entre os países considerados menos corruptos, segundo o documento intitulado "Barômetro Global de Corrupção 2009". A boa performance desses países é atribuída pela organização não-governamental "à estabilidade política, a controles efetivos sobre conflitos de interesse e a instituições públicas sólidas e funcionais". Os Estados Unidos caíram da 18ª posição em 2008 para a 19ª este ano.

 

Citada no comunicado divulgado junto com o estudo, Huguette Labelle, diretora da Transparência Internacional, adverte que os pacotes de estímulo elaborados em meio à mais recente crise financeira internacional tornam "essencial a identificação dos pontos nos quais a corrupção impede a boa governança e a prestação de contas".

 

Brasil melhora cinco posições

 

Segundo a BBC, o Brasil subiu cinco posições no ranking anual de corrupção. O país recebeu este ano 3,7 pontos, numa escala de 0 a 10, passando da 80ª colocação em 2008, para o 75º lugar entre 180 nações analisadas, posição compartilhada com Colômbia, Peru e Suriname. Apesar da melhora, o Brasil continua entre os países com índice alto de percepção de corrupção. O Brasil está apenas quatro posições à frente de Burkina Faso, China, Suazilândia e Trinidad e Tobago.

 

A situação do Brasil é comparável à da América Latina como um todo: 21 dos 31 países da região incluídos no levantamento receberam pontuação abaixo de 5, indicando problemas sérios de corrupção. Nove deles não passaram dos 3 pontos, marco indicativo de corrupção desenfreada. Com exceção da Guatemala, nenhum país da região registrou melhora significativa em sua pontuação.

 

(Com Ricardo Gozzi, da Agência Estado)

Mais conteúdo sobre:
Iraque Afeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.