Palestinos ameaçam boicotar negociação devido a assentamento

Os palestinos ameaçaramna segunda-feira boicotar as negociações de paz a partir destasemana por causa da insistência israelense em construir novascasas para colonos em territórios ocupados. O negociador palestino Ahmed Qurie e a chancelerisraelense, Tzipi Livni, se encontraram para preparar orelançamento das negociações, a partir de quarta-feira,consequência da retomada do processo de paz, há duas semanas,na conferência de Annapolis (EUA). Fontes palestinas disseram que Qurie insistiu que Israelhonre a promessa, renovada em Annapolis, de não ampliarassentamentos e exigiu o cancelamento de uma licitação para aconstrução de 307 imóveis em um assentamento já existente,anunciada poucos dias depois da conferência. O assentamento fica perto de Jerusalém, numa parte daCisjordânia que Israel anexou depois da ocupação de 1967. Oinício da construção, em 1997, desencadeou um dos colapsos doprocesso de paz da região. Os funcionários palestinos disseram que, se Israel insistirnas obras, pode haver um boicote. "Há um debate dentro daliderança palestina entre os que pedem um boicote nasnegociações na quarta-feira e os que dizem vá, mas foquemapenas em exigir o congelamento do assentamento", disse AzzamAl Ahmad, da facção Fatah, do presidente Mahmoud Abbas. Um porta-voz de Livni afirmou que o encontro serviu apenascomo preparativo para as negociações na quarta-feira entreAbbas e o primeiro-ministro Ehud Olmert. O porta-voz reiterou a posição israelense de que oassentamento de Har Homa (chamado de Abu Ghneim pelos árabes)está fora das restrições previstas no plano de paz de 2003, porse tratar de território anexado a Israel. A anexação de Jerusalém Oriental e de terrenos adjacentesda Cisjordânia não é reconhecida internacionalmente, e ospalestinos vêem as obras no local, um pouco ao norte de Belém,como parte de um plano para dividir a Cisjordânia e isolar aparte árabe de Jerusalém, que os palestinos reivindicam comofutura capital. "[A construção] está colocando as negociações e o processode paz em risco desta vez. Qurie exigiu que Israel revogue aslicitações", disse o negociador palestino Saeb Erekat àReuters. Na segunda-feira, a União Européia se somou a EstadosUnidos e ONU nos apelos contra a ampliação do assentamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.