Palestinos e judeus se enfrentam no 'Dia do Perdão' em Israel

Confrontos durante feriado judaico do Yom Kipur foram os mais graves em oito anos, disse polícia

BBC Brasil, BBC

09 de outubro de 2008 | 09h42

Centenas de jovens judeus e árabes se confrontaram, na madrugada desta quinta-feira, 9, na cidade de Aco, no norte de Israel. Os confrontos ocorreram durante o feriado mais importante da religião judaica, o Yom Kipur, e causaram sérios danos a dezenas de lojas e veículos no centro da cidade.   De acordo com a polícia de Aco, os incidentes violentos que ocorreram na madrugada desta quinta-feira foram os mais graves dos últimos oito anos. Segundo o jornal Haaretz, que é praticamente o único veículo de comunicação que funciona em Israel nesse feriado, os confrontos entre habitantes judeus e árabes de Aco, que é uma cidade mista na Galiléia, começaram quando um habitante árabe entrou dirigindo seu carro em um bairro de maioria judaica.   Durante o feriado do Yom Kipur, o Dia do Perdão, Israel literalmente pára e a maioria judaica da população não trabalha e nem dirige veículos. Para muitos judeus israelenses, dirigir um veículo no dia do Yom Kipur significa desrespeitar o feriado mais sagrado para a religião judaica. Já nas aldeias e cidades árabes, a vida segue normalmente.   Moradores do bairro judaico começaram a jogar pedras no carro do cidadão árabe e rapidamente centenas de jovens dos dois lados correram ao local e o confronto se ampliou para uma violência sem precendentes nos últimos anos. A polícia, que usou gás lacrimogênio e um canhão de água para dispersar a multidão, só conseguiu restaurar a ordem depois de algumas horas e não conseguiu impedir a depredação de dezenas de lojas e veículos na rua central da cidade, a rua Ben Ami.   O comandante da delegacia de Aco, Avi Adri, disse ao jornal Haaretz que a polícia vai tratar "duramente" os "vândalos". A gravidade do incidente em Aco demonstra a tensão de caráter étnico e nacional entre as duas populações de Israel. O incidente ocorre em uma data particularmente sensível. Sempre em outubro, árabes relembram o início da Intifada (o levante palestino), há oito anos, e a dura repressão de forças de segurança de Israel contra as manifestações em solidariedade aos palestinos que eclodiram espontaneamente em vários pontos do país. Pelo menos 13 árabes foram mortos pela polícia israelense nesses protestos.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelYom Kipurpalestinos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.