Papa diz que violência no Iraque ofende Deus e a humanidade

O papa Francisco afirmou que a violência e a destruição no Iraque ofende Deus e a humanidade e fez uma oração silenciosa pelas vítimas do conflito durante seu discurso semanal em Roma no domingo.

REUTERS

10 de agosto de 2014 | 10h38

"Ficamos incrédulos e assombrados com as notícias provenientes do Iraque", disse o pontífice, dois dias depois de os Estados Unidos terem dado início a ataques aéreos para conter uma insurgência que ameaça o país.

Milhares de pessoas, entre elas muitos cristãos, foram expulsas brutalmente de suas casas, crianças morrendo de fome e sede ao fugirem, mulheres sequestradas, pessoas massacradas, violência de todos os tipos, destruição em todos os lugares...Tudo isso ofende profundamente Deus e ofende profundamente a humanidade."

Um silêncio tomou conta da multidão na Praça de São Pedro depois que Francisco interrompeu seu discurso preparado para pedir um momento de silêncio.

Francisco agradeceu os voluntários no Iraque e disse que seu enviado pessoal, o cardeal Fernando Filoni, irá para o Iraque na segunda-feira "para garantir àquelas pessoas queridas que estou perdo delas".

(Reportagem de Isla Binnie)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEPAPA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.