Papa pede 'humanidade' para fim do conflito no Oriente Médio

Durante oração dominical, Bento XVI pediu 'sabedoria de todos que têm alguma responsabilidade sobre situação'

Efe,

28 de dezembro de 2008 | 11h01

O papa Bento XVI condenou neste domingo, 28, os ataques de Israel contra os palestinos e pediu que a comunidade internacional ajude a solucionar o conflito, privilegiando sempre o diálogo e as negociações. "Peço uma amostra de humanidade e de sabedoria de todos aqueles que têm alguma responsabilidade sobre esta situação", declarou.   Veja também: Número de mortos por ataques de Israel em Gaza sobe para 282 Abbas: ataques podiam ser evitados; Olmert promete 'firmeza' ONU pede cessar fogo imediato de Israel na Faixa de Gaza Conheça a história do conflito entre Israel e palestinos Ofensiva israelense deve sepultar esforço de paz Hamas pede nova Intifada contra Israel após ataques Itamaraty condena 'reação desproporcional' de Israel Veja imagens de Gaza após os ataques       Os ataques que começaram no sábado já deixaram 282 mortos e cerca de 900 feridos. Esta é a mais sangrenta operação israelense contra palestinos desde a Guerra dos Seis Dias, em 1967. Dos 900 feridos, aproximadamente 120 se encontram em estado crítico, e o número de vítimas pode aumentar nas próximas horas, informou o responsável do serviço médico de emergências em Gaza, Moawiya Hasanein.   "Peço que a comunidade internacional que não deixe de tentar nenhuma via para ajudar os israelenses e os palestinos a sair deste beco escuro e a não se entregarem à lógica perversa do enfrentamento e da violência", disse o pontífice durante a tradicional oração dominical.   "Estou profundamente triste pelos mortos, feridos, danos materiais, sofrimentos e lágrimas dos povoados que foram vítimas desta trágica série de ataques e represálias", afirmou. "A pátria terrena de Jesus não pode seguir sendo testemunho de tanto derramamento de sangue, que se repete sem fim", acrescentou Bento XVI, que pediu à Sagrada Família que ajude a levar a paz àTerra Santa.   Segundo o papa, a Terra Santa - que "se viu golpeada de novo por uma explosão de inaudita violência", segundo suas palavras - está nos pensamentos e corações dos fiéis católicos de tods as partes do mundo.  

Tudo o que sabemos sobre:
bento XVIIsraelHamas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.