Paquistão assume responsabilidade como potência nuclear

Governo diz em nota que não irá ignorar exigências de segurança nem 'necessidades de desenvolvimento'

Efe,

28 de maio de 2008 | 14h26

O governo paquistanês declarou nesta quarta-feira, 28, que o país "assumiu seriamente sua responsabilidade" como potência atômica, exatamente dez anos após o primeiro teste nuclear realizado por Islamabad. "O Paquistão se opõe a uma corrida armamentista no Sul da Ásia", disse um comunicado divulgado pelo Ministério de Relações Exteriores. Veja também:Paquistão testa míssil de cruzeiro com capacidade nuclear No entanto, a nota acrescenta que "o Paquistão não vai ignorar suas exigências relacionadas à segurança, nem suas necessidades de desenvolvimento econômico." O comunicado destacou que "28 de maio de 1998 foi um dia histórico na busca da segurança da nação" e acrescenta que o Paquistão "tentou promover a causa da paz, do desarmamento e da não-proliferação." O governo disse que o arsenal atômico paquistanês está sob controle e garantiu ter mecanismos de controle de acordo com os padrões internacionais. O Executivo também assegurou que o Paquistão está patrocinando iniciativas para trazer estabilidade à região e criar uma "atmosfera pacífica."  O Paquistão mantém uma forte tensão militar com a Índia desde sua independência do império britânico, em 1947, e os dois países competem em uma corrida armamentista com testes freqüentes de mísseis.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoprograma nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.