Paquistão fecha Mesquita Vermelha por tempo indeterminado

O edifício foi fechado porque estudantes radicais tentaram retomar o controle da mesquita, após conflitos

Efe

28 Julho 2007 | 15h05

O governo paquistanês ordenou neste sábado, 28, o fechamento por tempo indeterminado da Mesquita Vermelha emIslamabad, após os violentos conflitos de sexta-feira entre aPolícia e centenas de radicais, e devido ao ataque suicida realizado próximo ao centro da cidade. Segundo uma fonte oficial, os ataques causaram a morte de 15 pessoas.   O porta-voz do Ministério do Interior paquistanês, Javed Cheema, declarou à imprensa que os policiais receberam ordem para estabelecer pontos de controle e isolar a área, em pleno centro da capital do Paquistão.   Segundo ele, o governo ordenou o fechamento do edifício porque studantes radicais tentaram retomar o controle da mesquita, boicotando as orações da sexta-feira no dia da reabertura do centro religioso ao público.   Nos arredores da mesquita, ainda, houve um ataque suicida, o segundo registrado em Islamabad em duas semanas. A Polícia acredita que a ação pode ser uma resposta ao ataque realizado pelo Exército contra a Mesquita Vermelha durante a madrugada de 10 para 11 de julho, quando morreram pelo menos cem pessoas.   Depois de pintar com tons próximos ao branco os muros vermelhos da mesquita, o Governo a reabriu na sexta-feira, para permitir a celebração das rezas tradicionais. No entanto, as orações foram suspensas devido à ação de centenas de estudantes, que protestavam contra o presidente paquistanês, Pervez Musharraf.   Em meio a discursos contra o governante, os estudantes usaram alto-falantes da mesquita para  informar que tinham tomado o controle do centro e que não permitiriam a volta do Governo.

Mais conteúdo sobre:
Mesquita vermelha ataques Paquitsão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.