Arquivo/AP
Arquivo/AP

Paquistão libertará 'caçador' de Bin Laden em breve, diz parente

Gary Faulkner foi preso nas montanhas paquistanesas em missão para capturar líder da Al-Qaeda

AP,

22 de junho de 2010 | 18h44

DENVER, EUA- Um americano que foi preso quando tentava capturar o terrorista Osama bin Laden sozinho será libertado sem acusações pelo governo paquistanês, disse nesta terça-feira, 22, um parente seu.

 

Veja também:

especialEspecial: As franquias da Al-Qaeda

 

Gary Faulkner, de Greeley, no Colorado, foi preso em 13 de junho nas montanhas do norte do Paquistão depois de ter sido encontrado com uma pistola, uma espada e equipamentos de visão noturna. O homem de 50 anos disse aos oficiais que estava lá para matar o líder da Al-Qaeda.

 

Depois de preso, Faulkner foi transferido para Islamabad, e um parente dele disse à Associated Press em condição de anonimato que ele será entregue a autoridades americanas na capital paquistanesa e irá retornar aos Estados Unidos "muito em breve".

 

Gary Faulkner é um pedreiro aposentado que vendeu suas ferramentas para financiar seis viagens ao Paquistão, chamadas por seus parentes de "missão Rambo" para matar ou capturar bin Laden.

 

Scott Faulkner, irmão de Gary, disse na semana passada que ele não é louco, apenas determinado em encontrar o homem que as forças militares americanas falharam em capturar quase uma década após o 11 de setembro.

 

Um outro parente disse à AP nesta terça que não tinha certeza de quando Gary iria retornar a Denver, e que ele está sendo bem tratado pelas autoridades paquistanesas.

 

Oficiais do Departamento de Estado se recusaram a comentar o caso, citando preocupações com a privacidade. Segundo dois funcionários, Faulkner se recusou a assinar uma autorização para permitir que o governo discuta seu caso publicamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.