Para Bush, paz no Oriente Médio pode ser atingida em breve

O presidente dos Estados Unidos,George W. Bush, afirmou na terça-feira que continua otimistasobre um possível acordo de paz entre israelenses e palestinosaté o fim de seu mandato. A declaração foi feita mesmo dianteda recente onda de violência no Oriente Médio. "Dez meses é um período longo. Há bastante tempo paraestabelecer um acordo", disse Bush após conversar com o reiAbdullah, da Jordânia enquanto a secretária de Estado,Condoleeza Rice, visitava a região com o objetivo de fortalecero processo de paz patrocinado por Washington. Bush afirmou que o objetivo da diplomacia norte-americana éfazer com que os dois lados voltem a negociar. Rice ressaltou anecessidade de que israelenses e palestinos retomem asconversas suspensas após a ofensiva de Israel na região daFaixa de Gaza, controlada pelo Hamas. O presidente palestino, Mahmoud Abbas, desistiu dasnegociações no domingo, em protesto às operações militares deIsrael que mataram mais de 120 palestinos antes da saída dastropas na segunda-feira. Israel afirmou que mandará soldadosnovamente se os ataques com foguetes contra seu territóriocontinuarem. O atrito revelou a dificuldade de se atingir um acordo depaz antes do fim do mandato de Bush, em janeiro de 2009, umobjetivo que vem despertando ceticismo dentro e fora da região. "Estou otimista e continuarei a trabalhar muito paraalcançar essa visão", disse Bush. Ele insistiu que os EstadosUnidos "estão comprometidos, e assim continuarão" no processode paz do Oriente Médio. Os Estados Unidos e Israel culpam o Hamas, que tomou ocontrole de Gaza das forças de Abbas em junho, pela violência,e dizem que o grupo islâmico está tentando arruinar asconversas em torno da criação de um Estado Palestino entreAbbas e o primeiro ministro israelense, Ehud Olmert. (Reportagem de Matt Spetalnick)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.