Para Paquistão, Índia não está pronta para diálogo

Ministros dos dois países se reuniram para conversas bilateras na quinta-feira

Efe

16 de julho de 2010 | 10h20

ISLAMABAD - O ministro paquistanês de Assuntos Exteriores, Shah Mehmood Qureshi, disse nesta sexta-feira, 16, que a Índia não está totalmente pronta para o diálogo bilateral, e afirmou que Nova Délhi quer falar quase exclusivamente sobre terrorismo.

 

"A Índia não está totalmente preparada para o diálogo. Quiseram falar só sobre alguns assuntos. O diálogo não pode avançar se só prestarmos atenção ao que a Índia considera importante e ignorarmos as preocupações do Paquistão", disse Qureshi perante vários jornalistas, segundo a emissora de televisão "Express Tv".

 

Qureshi se reuniu quinta-feira em Islamabad com seu colega indiano, S.M. Krishna, e em seguida os dois concederam entrevista coletiva durante a qual houve mensagens cordiais, ao contrário das declarações do chefe da diplomacia paquistanesa nesta sexta.

 

"Estamos preparados para o diálogo em qualquer lugar e a qualquer momento, mas não temos pressa. Estamos dispostos a mostrar flexibilidade", acrescentou.

 

Na quinta, os ministros de Exteriores dos dois países só puderam anunciar que reeditarão seu encontro em Nova Délhi, em data que ainda não foi determinada, possivelmente no fim do ano, segundo Qureshi, se até novembro houver avanços nos assuntos abordados.

 

A Índia cancelou suas relações diplomáticas com Islamabad após o atentado múltiplo contra Mumbai, em 2008, que, segundo o Governo do país, foi realizado por um grupo terrorista com base no Paquistão.

 

Embora nos últimos meses tenha havido aproximação, Nova Délhi ainda é reticente a retomar o processo de paz iniciado em 2004.

 

Índia e Paquistão mantêm forte rivalidade desde a independência e partilha do subcontinente, em 1947, tendo havido três guerras e outros conflitos menores.

 

Krishna e o restante da delegação indiana retornam nesta sexta a Nova Délhi após uma série de contatos com representantes de forças políticas minoritárias do Paquistão.

Tudo o que sabemos sobre:
ÍndiaPaquistãonegociações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.