Para vice iraquiano, sunitas não devem voltar ao governo ainda

Seis ministros sunitas saíram do governo, em agosto, em protesto pelo descumprimento de exigências

Efe

23 de setembro de 2007 | 18h44

O vice-presidente do Iraque, Tareq al-Hashemi, afirmou, no sábado, 22, que ainda não chegou o momento adequado para que os ministros da Frente do Consenso Iraquiano (FCI, principal partido sunita) voltem ao governo.   Segundo comunicado divulgado neste domingo, 23, Hashemi, um dos dirigentes da FCI, fez as declarações durante a reunião com o chefe da comissão de Relações Exteriores no Parlamento, Hamam Hamudi, com quem tratou de medidas para encontrar uma saída para a crise no país. Hashemi explicou que o partido "apóia qualquer tentativa séria" do governo do primeiro-ministro iraquiano, o xiita Nouri al-Maliki, para tirar o país da situação atual. Também assegurou que o Parlamento iraquiano tenta conseguir um programa político de consenso.   Em agosto, a FCI, que reúne os três principais grupos sunitas, retirou seus seis ministros do governo em protesto pelo descumprimento das exigências dos sunitas, o que resultou em crise governamental.   Entre as exigências estão um papel mais importante para os sunitas no processo político, assim como acabar com as milícias xiitas no Iraque.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraque, sunitas, xiitas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.