Parlamento da Líbia aprova novo governo

O parlamento eleito da Líbia aprovou nesta segunda-feira um novo gabinete proposto pelo primeiro-ministro, Abdullah al-Thinni, informou um porta-voz parlamentar.

REUTERS

22 de setembro de 2014 | 21h57

A Líbia combate uma verdadeira anarquia, já que dois parlamentos e governos competem pela legitimidade três anos depois da deposição de Muammar Gaddafi.

A Câmara dos Deputados eleita e autoridades do primeiro escalão se transferiram para o leste depois que um grupo armado da cidade de Misrata, no oeste do país, ocupou a capital e estabeleceu uma assembleia e um gabinete rivais.

A Câmara, que é reconhecida pela comunidade internacional, concordou com uma segunda lista para o gabinete depois de rejeitar uma compilação com 16 membros na semana passada por ser grande demais, disse o porta-voz parlamentar Faraj Hashem.

O novo gabinete tem 13 ministros, incluindo três vices de Thinni, e nenhum ministro do petróleo, setor vital que será controlado pela estatal Corporação Nacional do Petróleo, como nos tempos de Gaddafi.

Thinni, ex-soldado de carreira, é o premiê desde março, mas tinha renunciado depois de uma votação em junho. Os legisladores pediram que ele formasse um novo governo.

O ministro das Relações Exteriores será Mohammed al-Dairi, ex-funcionário de alto escalão da Organização das Nações Unidas (ONU), informou o parlamento em seu site. Não haverá ministro da Defesa – o chefe de gabinete irá comandar os militares, afirmou Hashem.

Thinni foi incapaz de fazer a lei valer na Líbia, onde grupos armados vêm dando as cartas desde a deposição de Gaddafi em 2011.

As potências ocidentais temem que a Líbia esteja rumando para a guerra civil. O governo não consegue controlar os ex-rebeldes que ajudaram a derrubar Gaddafi mas agora disputam o poder e uma fatia das receitas do petróleo.

(Por Ulf Laessing e Ahmed Elumami)

Mais conteúdo sobre:
LIBIANOVOGOVERNO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.