Parlamento eleito da Líbia suspende participação em conversas da ONU

Parlamento eleito da Líbia suspende participação em conversas da ONU

A organização planejava realizar uma nova rodada de conversas no Marrocos nesta semana, a última tentativa de desarmar uma violenta disputa de poder que ameaça dividir o país norte-africano

O Estado de S. Paulo

23 de fevereiro de 2015 | 17h41

TRÍPOLI - O Parlamento eleito da Líbia decidiu em votação nesta segunda-feira, 23, suspender sua participação em um diálogo patrocinado pela Organização das Nações Unidas (ONU) entre os partidos rivais líbios que lutam pelo controle da nação produtora de petróleo, disseram legisladores.A ONU planejava realizar uma nova rodada de conversas no Marrocos nesta semana, a última tentativa de desarmar uma violenta disputa de poder que ameaça dividir o país norte-africano.

A Assembleia eleita está sediada no leste, como o governo reconhecido internacionalmente, desde que a facção Amanhecer Líbio tomou a capital Trípoli em agosto, restaurando a legislação anterior e instalando um governo rival no local.  Farraj Hashem, porta-voz da Câmara dos Deputados, citou um duplo atentado suicida assumido por militantes do Estado Islâmico na cidade de Qubbah, no leste líbio, na sexta-feira, e que matou 45 pessoas, como motivo da suspensão.

“O outro lado não repudiou a explosão em Qubbah e não reconhece o terrorismo em sua terra”. Ele ainda disse que falta “visão” ao diálogo.A oposição às conversas mediadas pela ONU vem crescendo no leste. Alguns parlamentares acusaram o Amanhecer Líbio de ter laços com os militantes, o que o grupo nega. / LÍBIA 

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaONUAmanhecer Líbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.