Participação do Irã em negociações de paz na Síria é difícil, diz autoridade dos EUA

Uma importante autoridade dos Estados Unidos disse nesta sexta-feira que é "difícil imaginar" que o Irã participe das conversas do próximo mês para a paz na Síria, uma vez que não endossou o comunicado de junho de 2012 que pedia um governo de transição e fornecia apoio militar a Damasco.

Reuters

20 de dezembro de 2013 | 18h03

A autoridade afirmou que irão continuar as negociações com o mediador Lakhdar Brahimi e outros Estados sobre a participação do Irã nas conversas de paz, mas que há muitas maneiras de Teerã ser inserido no processo, que está apenas no começo, segundo a fonte.

"O Irã, nesta instância, é o único país que colocou seus próprios militares para lutarem em campo, o que é uma posição única", disse a alta autoridade norte-americana.

"Eu espero que o Irã pense sobre retirar seus combatentes e seu apoio, e sobre permitir que a oposição síria e o regime construam de fato um governo de transição com plenos poderes executivos por consentimento mútuo, assim como Lakhdar Brahimi disse, uma nova Síria."

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

(Tradução Redação Brasília, 5561 34267022))

REUTERS MCM TR

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAIRAPAZ*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.