Partido iraquiano pede sessão no Parlamento para discutir Wikileaks

Objetivo é formar comissão para investigar documentos vazados sobre a guerra do Iraque

Efe,

28 de outubro de 2010 | 17h15

BAGDÁ- O partido político Al Iraqiya, liderado pelo ex-primeiro-ministro Ayad Allawi, pediu nesta quinta-feira, 28, a realização de uma sessão extraordinária no Parlamento do Iraque para falar sobre os documentos divulgados pelo site WikiLeaks.

 

Veja também:

linkIraque torturou prisioneiros com consentimento dos EUA

linkMilícias xiitas iraquianas foram treinadas no Irã

link63% dos mortos na guerra eram civis

 

Em entrevista coletiva, um porta-voz dessa coalizão ressaltou que "a solicitação, assinada por 52 deputados de Al Iraqiya, pede ao Parlamento reunião urgente para discutir e formar uma comissão de legisladores para investigar as informações incluídas nos documentos de WikiLeaks".

 

Como o Parlamento ainda não elegeu o presidente por causa da crise política que atinge o país desde as eleições legislativas de 7 de março, a Al Iraqiya propôs que seja o deputado de maior idade que convoque aos membros da Câmara, como estipula o regulamento interno e a Constituição.

 

Em 22 de outubro, o WikiLeaks publicou os relatórios de campo feitos por soldados americanos entre 2004 e 2009 sobre a guerra do Iraque.

 

Os documentos revelam, entre outros fatos, que as forças dos EUA deixaram sem investigar centenas de denúncias de abusos e torturas, e inclusive de possível assassinato, por parte dos soldados iraquianos, além do financiamento que o Irã daria à insurgência do país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.