Partidos de Netanyahu e Lieberman selam coligação eleitoral

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, anunciou na quinta-feira uma coligação eleitoral do seu partido, o Likud, com a agremiação do ultranacionalista chanceler Avigdor Lieberman, dando um viés mais direitista à eleição israelense de 22 de janeiro.

Reuters

25 de outubro de 2012 | 19h55

Embora o conservador Likud lidere as pesquisas, sua coligação com o Israel Beiteinu ("Israel É o Nosso Lar") pode garantir a votação esmagadora de que Netanyahu precisa para lhe garantir mais força política.

Mas, com essa aliança, a retomada do processo de paz com o presidente palestino, Mahmoud Abbas, dificilmente será uma grande prioridade, já que Lieberman, colono na Cisjordânia ocupada, costuma manifestar desdém pela Autoridade Palestina.

"Em Israel, o primeiro-ministro precisa de uma força grande e coesa por trás de si", disse Netanyahu em entrevista coletiva, citando a necessidade de enfrentar preocupações com o programa nuclear iraniano, e também os problemas sociais e econômicos de Israel.

Concorrendo junto com Lieberman, Netanyahu previu obter "um mandato claro, que me permita focar nas questões principais, e não em ninharias".

Lieberman é um defensor de uma reforma política que reduza o número de partidos, já que a baixa barreira eleitoral permite a proliferação de muitos pequenos partidos no Parlamento.

"A verdadeira reforma de governo começa, na prática, hoje", disse o chanceler, ao lado de Netanyahu.

(Por Dan Williams)

Tudo o que sabemos sobre:
ISRAELPARTIDOSCOLIGACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.