Passagem de Rafah será aberta por dois dias para palestinos

Medida é vista como um gesto de boa vontade do Egito, às vésperas do início do mês do Ramadã

EFE

30 de agosto de 2008 | 07h17

O Egito reabriu neste sábado por 48 horas a passagem fronteiriça de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, para permitir a saída de centenas de palestinos deste território, informaram fontes de segurança palestinas. Cinco ônibus deixaram Gaza atravessando o cruzamento de Rafa e um entrou saiu do território egípcio com destino à faixa controlada pelo movimento islamita Hamas, pouco depois da abertura da fronteira esta manhã, agregaram as fontes. Segundo o Ministério do Interior do Hamas, a passagem permanecerá aberta até o fim da noite de domingo, uma medida que é qualificada como um gesto de boa vontade por parte do Egito, nas vésperas do início em setembro do mês sagrado muçulmano do Ramadã. Além disso, cerca de 150 egípcios que tinham ficado na Faixa de Gaza desde janeiro retornar para seus lares, assim como centenas de palestinos residentes fora deste território, disse o Ministério. No total, espera-se que aproximadamente 1.200 pessoas atravessem a fronteira de Rafah nas duas direções ao longo do dia, e que outros 400 doentes possam viajar ao Egito amanhã para receber tratamento médico, acrescentou o Ministério do Interior do Hamas. As forças de segurança leais ao grupo islâmico adotaram medidas para evitar o fluxo descontrolado de dezenas de milhares de palestinos em direção ao cruzamento, e fixaram postos de controle para permitir que somente pacientes e estrangeiros que estavam em Gaza pudessem deixar o território. O cruzamento de Rafah, única saída da Faixa de Gaza ao exterior que não limita com Israel, permanece fechado há mais de um ano, quando o Hamas assumiu à força o controle do território.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoIsraelGazaRafah

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.