Pelo menos 25 morrem em confrontos com Al-Qaeda no Iraque

Autoridades confirmam que os agressores seqüestraram cinco mulheres antes de fugir do reforço policial

REUTERS

23 de agosto de 2007 | 07h48

Pelo menos 25 pessoas foram mortas em uma batalha entre militantes árabes sunitas e islamitas sunitas da Al-Qaeda no norte de Bagdá, no começo desta quinta-feira, informou a polícia.Policiais e moradores das vilas Sheikh Tamim e Ibrahim Yehia disseram que cerca de 200 atiradores tomaram as ruas pela manhã e executaram três jovens e um líder religioso de uma mesquita local.A invasão deflagrou confrontos com militantes locais, que mataram 10 agressores. A polícia informou que prendeu 22 suspeitos.As duas vilas estão localizadas na província de Diyala, onde soldados norte-americanos caçam membros da Al-Qaeda e outros militantes árabes sunitas que usam a região como plataforma de lançamento de ataques contra Bagdá.O chefe de polícia de Baquba, general-brigadeiro Ali Delayan, disse que os atacantes bombardearam as duas vilas com morteiros antes da invasão. Eles usaram granadas e reduziram algumas casas a meros entulhos.Os agressores fizeram cinco mulheres reféns antes de bater em retirada.O combate é um exemplo da violenta luta pelo poder entre militantes ligados a Al-Qaeda e grupos de militantes árabes sunitas do Iraque que, há apenas alguns meses, estavam lutando lado a lado contra as forças dos Estados Unidos e o governo liderado por xiitas.A interpretação severa da Al-Qaeda sobre o Islã e sua matança indiscriminada de civis provocaram revoltas em tribos árabes sunitas de províncias do oeste e centro do Iraque, fazendo com que esses grupos se voltassem contra eles.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueAl-Qaeda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.