Polícia do Iêmen prende dezenas de supostos membros da Al-Qaeda

Entre presos, estão 7 homens próximos de homem-bomba que tentou matar embaixador britânico

27 de abril de 2010 | 17h23

Reuters

 

SANA- Policiais do Iêmen prenderam dezenas de suspeitos de integrarem a rede extremista Al-Qaeda, um dia depois de um homem-bomba ter tentado matar o embaixador britânico no país, oficiais de segurança disseram nesta terça-feira, 27.

 

Veja também:

linkIêmen atribui a Al-Qaeda atentado contra embaixador britânico

especialEspecial: As franquias da Al-Qaeda

 

No turbulento norte do Iêmen, três pessoas ficaram feridas durante uma troca de tiros entre  rebeldes e tribos pró-governistas que bloquearam uma importante estrada na capital.

 

Entre os detidos, de acordo com os oficiais, estavam sete iemenitas que tinham relações próximas com o homem-bomba, que morreu ao atacar o comboio do embaixador Tim Torlot na segunda.

 

Os sete homens, assim como o suicida, já tinham sido presos por serem suspeitos de terem ligações com os ataques de 11 de setembro, mas foram soltos após dois anos de prisão, segundo autoridades.

 

O governo do Iêmen tem lutado contra a Al-Qaeda e outros grupos militantes, em uma tentativa de acabar com a instabilidade do país. O braço do grupo no país, a Al-Qaeda na Península Árabe, tem base no Iêmen e já havia atacado embaixadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.