Polícia do Irã prende aliado de Mousavi que investigava abusos

Ali Reza Hosseini Behesthi foi detino no mesmo dia em que fechamento de escritório de Karroubi foi ordenado

Efe,

09 de setembro de 2009 | 12h30

A Polícia do Irã deteve um dos principais aliados de líder opositor e candidato reformista derrotado nas passadas eleições, Mir Hussein Mousavi, informou nesta quarta-feira, 9, o site reformista Mowjcamp.com.

 

Veja também:

lista Conheça os números do poderio militar do Irã

lista Altos e baixos da relação entre Irã e EUA

especialEspecial: O histórico de tensões do Irã

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

especialEspecial: As armas e ambições das potências

 

Segundo a fonte, vários agentes capturaram Ali Reza Hosseini Behesthi na terça-feira. O aliado de Mousavi dirige o comitê da oposição para investigar os supostos abusos a presos durante os protestos que explodiram contra a reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad.

 

Beheshti tinha denunciado dias atrás que o número de mortos na revolta chegava a 72 pessoas, o que as autoridades iranianas negavam. Os dados oficiais apontam que 26 pessoas morreram e cerca de 4 mil foram detidas nos distúrbios pós-eleitorais que protestavam contra o caráter fraudulento da votação.

 

A detenção de Beheshti, filho de um conhecido aiatolá que participou da criação da Revolução Islâmica, aconteceu no mesmo dia que o Poder Judiciário ordenou o fechamento do escritório de outro dos candidatos derrotados, Mehdi Karroubi. Agentes judiciais apreenderam documentação, computadores, dispositivos de memória digital e imagens e detiveram o diretor do site de Karroubi, conforme explicaram fontes de seu partido.

 

Na semana passada, Ahmadinejad e outros membros do ala mais dura do regime pediram que os verdadeiros autores da revolta fossem julgados e punidos pelos delitos que cometeram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.