Polícia interroga Olmert por suspeita de corrupção na sexta

Primeiro-ministro israelense é suspeito de ter recebido suborno do empresário americano no final dos anos 90

Reuters,

20 de maio de 2008 | 06h04

A polícia de Israel vai interrogar o primeiro-ministro Ehud Olmert pela segunda vez na sexta-feira, 23, segundo um porta-voz policial, como parte de uma investigação de caixa dois eleitoral que pode derrubá-lo. Olmert, que já foi ouvido em 2 de maio, é apontado como suspeito de receber "somas significativas de dinheiro de um estrangeiro ou de vários estrangeiros ao longo de um período prolongado". O primeiro-ministro nega qualquer irregularidade, mas diz que vai renunciar se for indiciado. Ele admitiu neste mês que o empresário norte-americano Morris Talansky arrecadou doações para as duas vitoriosas campanhas dele a prefeito de Jerusalém (1993 e 98) e para duas disputas internas do partido Likud (em 1999 e 2002). A lei israelense limita as doações eleitorais a algumas centenas de dólares. "Olmert será interrogado pela segunda vez por investigadores da Unidade Nacional de Fraudes nesta próxima sexta-feira", disse o porta-voz policial Micky Rosenfeld na terça-feira. O procurador-geral de Israel disse na segunda-feira que os investigadores suspeitam que Olmert recebeu envelopes cheios de dinheiro de Talansky. O premiê diz que um ex-sócio seu num escritório de advocacia cuidava dos detalhes, e pede ao procurador-geral que siga rigidamente os procedimentos jurídicos. Uma fonte judicial disse que o político chegou a receber centenas de milhares de dólares. No domingo, o procurador-geral Menachem Mazuz disse que o inquérito não será concluído tão cedo. Olmert também está envolvido em outras investigações sobre corrupção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.