Polícia iraniana detém 40 seguidores da oposição em sermão

Mir Hussein Moussavi havia convocado simpatizantes para protesto contra supostas fraudes nas votações

Efe

19 de julho de 2009 | 16h18

A Polícia iraniana deteve 40 pessoas durante o sermão de sexta-feira, 17, em Teerã. Os detidos eram aparentemente seguidores de alguns dos candidatos opositores à presidência nas eleições passadas.

 

Segundo a agência de notícias Fars, a Polícia informou da detenção dessas pessoas através de um comunicado publicado neste domingo, 19.

 

"Na semana passada Teerã foi uma cidade tranquila graças à boa gestão da Polícia e das forças de segurança, no entanto houve pequenos enfrentamentos entre a Polícia e vários seguidores de alguns candidatos durante o grande sermão de sexta-feira passada", diz o comunicado.

 

Além disso, o comunicado diz que as pessoas "foram liberadas mais tarde, salvo aquelas que tinham provocado distúrbios e desordens durante e depois do sermão".

 

O Governo não divulga exatamente na nota o número das pessoas já soltas e das que seguem detidas.

 

O chamado "movimento verde" dos partidários do ex-candidato às eleições presidenciais de 12 de junho e atualmente líder da oposição, Mir Hussein Moussavi, tinha convocado seus seguidores a ir de forma pacífica e em massa ao sermão de sexta-feira passada em Teerã.

 

A chamada foi feita depois que fosse anunciado que o ex presidente iraniano e atual chefe da Assembleia de Especialistas, Ali Akbar Hashemi Rafsanjani, seria o encarregado de ministrar o sermão.

 

Rafsanjani tinha apoiado Moussavi durante o pleito que foi classificado como "fraudulento" pelos opositores.

 

A participação dos seguidores de Moussavi no sermão era para protestar, mais uma vez, contra o resultado das eleições vencidas pelo atual preidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad.

Tudo o que sabemos sobre:
MoussaviIrãprisões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.