Porta-voz de Haniyeh renuncia pedindo reconciliação com Fatah

Hamad é da ala moderada do Hamas e quer que dirigentes dêem o primeiro passo na recuperação do diálogo

Efe,

24 de agosto de 2007 | 05h44

O porta-voz do deposto primeiro-ministro Ismail Haniyeh, Ghazi Hamad, renunciou ao cargo devido a divergências políticas. Ele criticou a falta de iniciativas na recuperação do diálogo com o Fatah, informaram nesta sexta-feira fontes do Movimento de Resistência Islâmica, que controla a Faixa de Gaza. Hamad, também membro da Irmandade Muçulmana, é da ala moderada do Hamas e exigia que seus dirigentes dessem um primeiro passo para a reconciliação com o movimento nacionalista Fatah. Milicianos islâmicos tomaram o controle em Gaza, em junho, após cinco dias de sangrentos combates com forças de segurança da Autoridade Nacional Palestina (ANP), leal ao Fatah. A posição de Hamad é compartilhada por outro importante dirigente do Hamas, Ahmad Youssef, considerado um político "próximo ao Ocidente", segundo fontes do movimento. O ministro de Informações da ANP, Riad al-Maliki, tem afirmado que a retomada de um diálogo com o Hamas pela unidade do povo palestino só será possível quando o movimento devolver o controle de Gaza. Segundo fontes políticas palestinas, a decisão não depende dos dirigentes em Gaza, e sim do secretário-geral do Hamas, Haled Meshaal, que vive na Síria.

Tudo o que sabemos sobre:
HamasrenúnciaHamadHaniyeh

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.