Porta-voz do taleban explica razão para o ataque à ONU

Ataque foi retaliação à morte do líder Baitulaah Mehsud, provocado por um ataque dos EUA

AP

06 de outubro de 2009 | 04h43

O taleban paquistanês reivindicou a responsabilidade pelo ataque suicida contra a sede da agência alimentar da Organização das Nações Unidas (ONU) em Islamabad. A explosão na tarde da última segunda-feira, 5, que matou quatro paquistaneses e um iraquiano, fez com que a ONU fechasse temporariamente todos os seus escritórios no Paquistão e expôs a vulnerabilidade de muitas agências, que ajudam na assistência humanitária de milhões de civis afetados pela batalha entre o governo e os grupos rebeldes islâmicos.

 

Nesta terça-feira, 6, o ministro do Interior, Rehman Malik acusou o taleban ter realizado o ataque em retaliação à morte do líder Baitulaah Mehsud, provocado por um ataque norte-americano. O porta-voz taleban, Azam Tariq, confirmou mais tarde por telefone com a AP que o seu grupo preparou o ataque. "Nós orgulhosamente assumimos a responsabilidade pelo atentado suicida na sede da ONU em Islamabad", disse ele.

 

Tariq disse que o ataque aconteceu porque o trabalho do relevo "internacional não é do interesse dos muçulmanos", acrescentando que o seu grupo atacou o Programa Mundial de Alimentos porque a ONU e grupos humanitários estrangeiros são "infieis". Ele disse que seus objetivos futuros incluem agentes de segurança paquistanesas, escritórios governamentais e instalações americanos.

 

A ONU diz que as organizações parceiras no Paquistão continuam a distribuir alimentos, medicamentos e assistência humanitária. O organismo internacional declarou que vai reavaliar a situação nos próximos dias.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.