Porta-voz nega que Abbas pense em renunciar em seis meses

Presidente da Autoridade Palestina teria feito declaraão no domingo para líder pacifista israelense

Efe,

19 de maio de 2008 | 10h48

O porta-voz de Mahmoud Abbas, Nabil Abu Rudeina, desmentiu nesta segunda-feira, 19, que o presidente da Autoridade Palestina esteja pensando em deixar o cargo dentro de seis meses se até então não alcançar um acordo de paz com Israel. Abbas haveria feito esta ameaça no domingo, em uma conversa com o líder pacifista israelense Yossi Beilin durante o Fórum Econômico Mundial do Oriente Médio, que foi realizado na localidade egípcia de Sharm el-Sheikh, diz um comunicado do escritório de Beilin.   "Eu não assumi o cargo da Presidência para cumprir o papel de presidente, mas para alcançar um objetivo. Não encontro nenhum sentido em continuar neste posto caso se veja claramente que não podemos alcançar a paz", declarou Abbas a Beilin, diz o comunicado. Abu Rudeina chamou esta informação de "falsa" e "sem fundamentos".   Já Saeb Erekat, negociador da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), afirmou que Abbas "estudará as chances se não se alcançar um acordo para o fim de 2008". "Abu Mazen (nome de guerra de Abbas) nos disse que as opções estão abertas", declarou Erekat após ressaltar o compromisso do presidente palestino com o diálogo de paz com Israel iniciado o em novembro passado na conferência de Anápolis (EUA). Abbas e o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, decidiram nesta cúpula fechar um acordo de paz antes do final de 2008.

Tudo o que sabemos sobre:
palestinosIsraelMahmoud Abbas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.