Potências mostram preocupação com acordo de troca nuclear com o Irã

Diplomatas afirmam que plano não responde dúvidas-chave sobre programa nuclear iraniano

Reuters

09 de junho de 2010 | 08h10

VIENA - Grandes potências mundiais notificaram a agência nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre suas preocupações em relação a uma proposta para que o Irã envie 1,2 tonelada de urânio de baixo enriquecimento em troca de combustível para um reator, disseram a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e diplomatas nesta quarta-feira, 9.

 

Veja também:

linkSanções põem Irã no caminho da confrontação, diz embaixador

linkTeerã consegue driblar restrição em vigor

blog O que vem depois da resolução contra o Irã?

lista Veja a íntegra do texto com as restrições

 

Rússia, França e EUA entregaram uma resposta para o chefe da AIEA, Yukiya Amano, disseram os diplomatas. Essa resposta foi enviada ao enviado iraniana na AIEA antes de uma votação no Conselho de Segurança da ONU sobre novas sanções contra Teerã.

Diplomatas afirmam que os três países listaram preocupações sobre o plano mediado no mês passado por Brasil e Turquia, sugerindo que a resposta não era uma rejeição total de uma possível troca de combustível nuclear, na qual o Irã conseguiria combustível para um reator médico.

Potências ocidentais afirmaram que o novo plano, que ressuscita uma oferta similar feita pela AIEA, não atende dúvidas-chave sobre o programa nuclear iraniano, que eles afirmam ter o objetivo de desenvolver armas atômicas, o que o Irã nega.

Uma das principais preocupações ocidentais é com o crescimento do estoque de urânio de baixo enriquecimento e com o anúncio do país de que continuará enriquecendo urânio em um grau maio, independentemente do acordo mediado pelo Brasil.

 

Segundo o acordo, o Irã enviaria 1.200 quilos de urânio pouco enriquecido (LEU, na sigla em inglês) ao exterior para receber de volta 120 quilos de material nuclear pronto para ser usado em seu reator de pesquisas. O pacto, porém, foi colocado em dúvida pelas potências nucleares, que lutam pela aprovação de sanções contra a República Islâmica.

 

Saiba mais:

especialEspecial: Os últimos eventos da crise nuclear

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

lista Veja as sanções que já foram aplicadas ao Irã

 

As sanções são pretendidas pelos temores de que o Irã enriqueça urânio para produzir armas atômicas, o que Teerã nega. Nesta quarta-feira será votada no Conselho de Segurança a resolução que impõe a quarta rodada de medidas restritivas ao Irã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.