Potências ocidentais aceitam acordo sobre urânio iraniano

França, EUA e Rússia dão sinal verde para proposta da AIEA de enriquecer matéria prima nuclear fora do país

estadao.com.br,

23 de outubro de 2009 | 09h40

EUA, França e Rússia aceitaram a proposta da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), esboçada no começo da semana em Viena, na Áustria, para enriquecer urânio do Irã fora do país. A medida, em tese, dificultaria a capacidade do regime persa de produzir armas nucleares, mas permitiria o uso pacífico de energia nuclear.

Veja também:

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

O governo iraniano ainda não se pronunciou formalmente sobre a proposta. Na quinta-feira, o vice-presidente do Parlamento iraniano criticou o acordo.

Embaixadores da França e dos EUA na AIE devem apresentar as respostas de seus países ao diretor da agência, Mohamed el-Baradei, ainda hoje, informou uma fonte diplomática à agência France Presse. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse que Moscou aceita a proposta e espera que o Irã e os outros países envolvidos na negociação façam o mesmo.

"Técnicos russos participaram das reuniões na AIEA e estamos de acordo com esta proposta", afirmou Lavrov.

O acordo preliminar, fechado após três dias de negociações em Viena, prevê o envio de 75% das reservas de urânio de baixo enriquecimento do Irã para a Rússia (quase 1.200 quilos), no período de um ano, para que seja enriquecido e convertido em combustível para um reator usado para finalidades médicas em Teerã. Tecnicamente, a conversão do material radioativo na Rússia dificultaria seu uso militar.

Com Associated Press

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.