Potências ocidentais pressionam a ONU para realizar painel sobre o Irã

Reuniões regulares para avaliar o comprometimento de Teerã às sanções ainda não aconteceram

Reuters,

15 de setembro de 2010 | 21h37

NOVA YORK- Enviados dos Estados Unidos, Reino Unido e França afirmaram nesta quarta-feira, 15, que a ONU tem sido lenta em marcar um painel para monitorar o cumprimento do Irã às sanções impostas pelo organismo e deve fazê-lo rapidamente.

 

Veja também:

linkEUA acusam Irã de intimidar inspetores da AIEA

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

lista Veja as sanções já aplicadas contra o Irã

 

"Estamos preocupados com o atraso em criar o painel, e instamos a um renovado foco em permitir que esse organismo volte a operar o mais rápido possível", disse Susan Rice, embaixadora dos Estados Unidos na ONU, ao conselho durante uma reunião sobre o Irã.

 

Susan também disse que o Conselho e o comitê de sanções das Nações Unidas deveria "considerar uma resposta apropriada às violações do Irã e às resoluções do Conselho de Segurança".

 

Após aprovar uma quarta rodada de sanções contra o Irã em junho, o CS também acordou fixar um painel de especialistas para apresentar reportes regulares ao comitê de sanções sobre o comprometimento de Teerã.

 

Entenda o impasse

 

As potências ocidentais acusam o Irã de esconder, sob seu programa nuclear civil, outro de natureza clandestina e aplicações bélicas, cujo objetivo seria a aquisição de armas atômicas. Teerã nega tais alegações.

 

As tensões sobre o programa nuclear iraniano se acirraram no final do ano passado após o Irã rejeitar uma proposta de troca de urânio feita por EUA, Rússia e Reino Unido. Meses depois, o país começou a enriquecer urânio a 20%.

 

Um acordo mediado por Brasil e Turquia para troca de urânio chegou a ser assinado com o Irã em maio. O acordo, porém, foi rejeitado pelo Grupo de Viena - composto por Rússia, França, EUA e AEIA - e o Conselho de Segurança da ONU optou por impor uma quarta rodada de sanções ao país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.