Premiê descreve investidas de Israel em Gaza como 'guerra'

Olmert diz que continuará lutando sem piedade contra ataques "intoleráveis" do Hamas e seus aliados

Associated Press, REUTERS

17 de janeiro de 2008 | 10h50

Israel enfrenta uma "guerra" contra militantes palestinos que disparam foguetes a partir da Faixa de Gaza e uma ação militar os forçará a acabar com os ataques, afirmou nesta quinta-feira, 17, o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert. Ele disse ainda que não admitirá que foguetes sejam lançados de Gaza e que Israel continuará lutando contra os "intoleráveis" ataques contra os cidadãos.   Olmert falou no terceiro dia da onda de violência em que militantes palestinos lançaram foguetes e morteiros contra o sul de Israel. Os ataques se agravaram após a morte do filho do líder do Hamas. "Continuaremos com a luta contra a Jihad Islâmica, o Hamas e todos os seus aliados sem concessões e piedade".   "Uma guerra está acontecendo no sul, todos os dias, todas as noites", disse ele em discurso. "Os mais audaciosos e corajosos de nossos soldados e membros dos serviços de segurança são parte disso. Esta guerra não terminará. Chegará o momento em que haverá uma virada nessa guerra e ela levará os disparos no sul a ser diferentes do que são hoje", acrescentou.   O premiê disse ainda que Israel não tem pretensões de atingir civis inocentes em Gaza, mas que deve pressionar com sua ofensiva militar os responsáveis pelos "lançamentos intoleráveis de foguetes contra os cidadãos de Israel".   O Hamas, que controla a Faixa de Gaza desde junho de 2007, afirma que lançou 24 foguetes em território israelense somente nesta quinta, depois dos 79 na quarta-feira. Outros grupos afirmam que mais 12 lançamentos contra a fronteira de Israel foram feitos.

Tudo o que sabemos sobre:
questão palestinaIsraelFaixa de Gaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.