Premiê do Iraque diz que cidade curda de Arbil virou base de militantes

O primeiro-ministro do Iraque, Nuri al-Maliki, disse nesta quarta-feira que a cidade de Arbil, sob controle curdo, estava se tornando uma base de operações para o grupo militante Estado Islâmico, que tomou controle de partes do norte e do oeste do país no mês passado.

REUTERS

09 de julho de 2014 | 11h14

Maliki está sob pressão à medida que militantes islâmicos sunitas, liderados pelo grupo dissidente da al Qaeda, o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL), têm mantido o controle desses territórios do país e ameaçado marchar em direção à capital. 

"Nunca ficaremos quietos sobre Arbil ter se tornado uma base de operações para o Estado Islâmico e de baatistas, e da al Qaeda e de terroristas", disse Maliki em seu discurso semanal televisionado. 

O relacionamento de Maliki com o presidente curdo, Massoud Barzani, tem se deteriorado em meio a um insurgência sectária que ameaça dividir o país. 

Barzani, na semana passada, pediu ao parlamento da região autônoma curda para planejar um referendo sobre a independência de seu território, provocando atrito com Bagdá. 

Maliki, enquanto isso, tem acusado os curdos de explorar a crise para pressionar sua independência.

(Reportagem de Isra'a El Rubei'i e Ned Parker; Texto de Maggie Fick)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEPREMIEARBIL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.