Ahmed Malik/Reuters
Ahmed Malik/Reuters

Premiê iraquiano pede paciência após ataques que mataram 127

Após dia de violência, novo atentado deixa dois mortos; Maliki deve comparecer a audiência no Parlamento

estadao.com.br,

09 de dezembro de 2009 | 10h06

O primeiro-ministro do Iraque, Nouri al-Maliki, fez um pronunciamento na TV no qual pediu paciência e o apoio às forças de segurança do país após a onda de atentados que deixou 127 mortos em Bagdá na terça-feira, 8.

Veja também:

lista Cronologia: os dez atentados mais violentos no Iraque

Maliki deve ir uma audiência no Parlamento nesta quarta. Ele vem sofrendo fortes críticas de parlamentares, que pedem a renúncia da cúpula de segurança no país.

Nos últimos quatro meses, houve outros dois atentados contra prédios públicos no país. No primeiro, em agosto, 100 pessoas morreram. Em outubro, um ataque deixou 155 vítimas. 

Insurgentes têm direcionado seus ataques a alvos do governo públicos. Analistas atribuem o ataque a militantes sunitas ligados ao antigo partido Baath, do ex-ditador Saddam Hussein, descontentes com o governo xiita pró-ocidental.

EUA mantêm retirada

O chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas dos Estados Unidos, o almirante Mike Mullen, afirmou que o atraso das eleições no Iraque, que serão realizadas em 7 de março, não impedirá o início da retirada das tropas americanas do país em agosto de 2010.

"Podemos cumprir nosso plano e começar a reduzir nosso contingente em agosto", disse Mullen.

Segundo o almirante, apesar da nova estratégia anunciada pelo governo americano de concentrar esforços no Afeganistão, os EUA não abandonarão o Iraque à própria sorte.

"Estamos focados no Afeganistão, mas posso garantir que continuaremos observando o que acontece no Iraque", disse Mullen, que lamentou os atentados de ontem.

"Estamos seguindo estes eventos com muito cuidado", afirmou o almirante, lembrando ainda que há 115 mil soldados americanos no país.

Novo ataque mata dois

Pelo menos duas pessoas morreram e outras sete ficaram feridas após a explosão de uma bomba nesta quarta-feira, 9, em um bairro de Bagdá.

Testemunhas informaram que a explosão aconteceu no bairro Al-Azamiya, no norte da cidade. A explosão também causou danos materiais em várias lojas da região.

 

Com Efe e Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueatentadoAl-Maliki

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.