Premiê palestino apresenta renúncia e abre caminho para governo unido

O primeiro-ministro palestino, Rami Hamdallah, ofereceu a sua renúncia nesta sexta-feira, informou a agência de notícias oficial Wafa, uma medida que pode abrir caminho para um governo de unidade acertado entre o presidente Mahmoud Abbas e o Hamas.

Reuters

25 de abril de 2014 | 15h48

Na quinta-feira, Israel suspendeu as negociações de paz com os palestinos, afirmando que não pode negociar com um governo que abraça um grupo militante que defende a destruição do Estado judeu.

"Eu apresento a minha demissão e o governo está nas mãos de Vossa Excelência sempre que desejar", disse o premiê, segundo a Wafa.

Hamdallah, cujo papel está limitado à governança interna, apresentou sua renúncia no ano passado em uma disputa sobre seus poderes, mas recuou pouco depois.

O pacto de reconciliação acordado na quarta-feira entre o Hamas e o partido Fatah, de Abbas, prevê a busca de um governo de tecnocratas independentes dentro de cinco semanas e a realização de eleições seis meses depois.

Não houve eleições nacionais desde que o Hamas venceu as eleições parlamentares em 2006, levando a uma breve guerra entre o Hamas e o Fatah do ano seguinte, quando o grupo militante assumiu o controle da Faixa de Gaza.

No vácuo político que se seguiu, Abbas nomeou pessoalmente Hamdallah e seu antecessor, Salam Fayyad, enquanto o próprio primeiro-ministro do Hamas, Ismail Haniyeh, governou em Gaza.

(Reportagem de Noah Browning)

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDPALESTINOSPREMIERENUNCIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.