Premiê palestino diz que situação em Gaza é nova catástrofe

As vítimas palestinas da ofensiva de Israel em Gaza representam uma catástrofe nacional, lembrando a guerra de 1948-49, quando o Estado judaico foi criado, disse o primeiro-ministro palestino, Salam Fayyad, na quinta-feira. "O que o nosso povo está enfrentando em Gaza é uma catástrofe humanitária. É um novo Nakba, de um tipo que não acontece desde 1949", disse Fayyad a jornalistas em Ramallah. Os palestinos consideram a declaração de independência de Israel, em maio de 1948, seu "Nakba", ou catástrofe, citando a fuga forçada de centenas de milhares de árabes durante as batalhas pelo território da Palestina, que antes era governado pelos britânicos. Israel diz que a ofensiva de 13 dias, na qual mais de 700 palestinos já morreram, é uma resposta a ataques de foguetes vindos de militantes islâmicos do Hamas na Faixa de Gaza. Fayyad é um líder nos esforços de paz e de reestruturação da Autoridade Palestina na Cisjordânia ocupada. O Hamas dirige um governo separado com seu próprio primeiro-ministro na Faixa de Gaza. Os israelenses dizem que têm dúvidas sobre o comprometimento dos palestinos para criar um Estado que coexista com Israel. Os palestinos afirmam que querem que Israel reconheça o sofrimento dos refugiados e exigem reparações. (Reportagem de Ali Sawafta)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.