Premiê palestino renuncia, mas Abbas pede que ele continue

O primeiro-ministro palestino, Salam Fayyad, disse neste sábado que pretende renunciar até o final de março, uma decisão que pode alavancar negociações de unidade entre as facções rivais Fatah e Hamas. Mas o presidente palestino Mahmoud Abbas, líder do Fatah e que nomeou Fayyad depois que o Hamas assumiu o controle da Faixa de Gaza em 2007, afirmou que pediu ao primeiro-ministro que continue no cargo até que as conversas entre as facções para a formação de um governo de unidade --que têm a intermediação do Egito-- tragam resultados. "Irmão Salam Fayyad apresentou sua renúncia a nós para apoiar e fortalecer o diálogo palestino sobre a formação de um governo", afirmou Abbas a repórteres. O Hamas critica Fayyad há tempos, acusando-o de fazer a vontade dos Estados Unidos e de outras potências ocidentais, que financiam seu governo na Cisjordânia, ocupada por Israel. A autoridade de Abbas foi limitada à Cisjordânia depois que o Hamas tomou o controle da Faixa de Gaza em 2007, após combater as forças do Fatah na região. Negociações devem voltar a acontecer no Cairo na terça-feira. Autoridades palestinas e diplomatas do Ocidente dizem que não está claro se as duas facções podem formar uma coalizão aceitável pelas potências ocidentais, que criticam o Hamas pelo fato de o grupo se recusar a deixar a violência e reconhecer o Estado de Israel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.