Premiê turco chama Israel de 'Estado terrorista'

O primeiro-ministro da Turquia, Tayyip Erdogan, descreveu Israel nesta segunda-feira como um "Estado terrorista" devido aos ataques contra a Faixa de Gaza, ressaltando a hostilidade com o antigo aliado turco desde que a relação entre os dois países foi rompida em 2010.

Reuters

19 de novembro de 2012 | 12h07

Os comentários ocorrem após quase uma semana de ataques de foguetes palestinos contra Israel e uma ofensiva aérea israelense contra a Faixa de Gaza. Um míssil israelense matou ao menos 11 civis palestinos, incluindo quatro crianças, em Gaza no domingo.

"Aqueles que associam o islã com terrorismo fecham seus olhos ao assassinato em massa de muçulmanos, viram seus rostos ao massacre de crianças em Gaza", disse Erdogan em entrevista coletiva do Conselho Islâmico da Eurásia, em Istambul.

"Por este motivo, eu digo que Israel é um Estado terrorista, e seus atos são atos terroristas", disse.

A relação entre Israel e Turquia, antes o único aliado muçulmano do Estado judeu, foi rompida depois que fuzileiros israelenses invadiram um barco de ajuda humanitária em 2010, matando nove ativistas turcos.

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDTURQUIAISRAEL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.