Premiês de Israel e Turquia conversam por telefone, diz Obama

Os primeiros-ministros de Israel e Turquia se falaram por telefone nesta sexta-feira, informou o presidente dos EUA, Barack Obama, terminando a sua visita a Israel com o anúncio de um avanço diplomático entre os dois aliados norte-americanos.

Reuters

22 de março de 2013 | 13h28

As relações entre Israel e seu ex-parceiro estratégico, a Turquia, foram prejudicadas em 2010 quando fuzileiros navais israelenses mataram nove ativistas turcos após embarcarem em um barco que desafiava o bloqueio naval de Israel à Faixa de Gaza comandada pelo Hamas Islâmico.

Em um comunicado divulgado pela Casa Branca apenas minutos antes de Obama voar de Tel Aviv para a Jordânia no Força Aérea Um, o presidente disse que Benjamin Netanyahu, de Israel, e Tayyip Erdogan, da Turquia, conversaram por telefone nesta sexta-feira.

"Os Estados Unidos valorizam profundamente nossas parcerias estreitas com a Turquia e Israel, e damos grande importância para a restauração de relações positivas entre eles, a fim de promover a paz e a segurança na região", declarou Obama.

"Tenho esperança de que a troca de hoje entre os dois líderes vai permitir-lhes engajar em uma cooperação mais profunda sobre isto e em uma série de outros desafios e oportunidades", acrescentou.

O comunicado não deu detalhes sobre a conversa entre Netanyahu e Erdogan --a primeira desde que o navio turco Mavi Marmara foi interceptado perto de Gaza.

Ancara expulsou o embaixador de Israel e congelou a cooperação militar depois de um relatório da ONU sobre o incidente, publicado em setembro de 2011, em grande parte exonerando o Estado judeu.

Israel manifestou "pesar", não chegando a fazer o pedido de desculpas exigido, e se ofereceu para pagar no que chamou de "fundo humanitário" através do qual vítimas e parentes poderiam ser compensados.

Tudo o que sabemos sobre:
ISRAELTURQUIACONVERSA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.