Presidente de Israel indica Tzipi Livni para formar governo

Chanceler sucede ex-premiê Olmert, que renunciou no domingo; ela terá 42 dias para anunciar coalizão política

Agências internacionais,

22 de setembro de 2008 | 14h09

O presidente de Israel, Shimon Peres, pediu nesta segunda-feira, 22, à chanceler Tzipi Livni que forme um novo governo, abrindo caminho para a que a líder do partido Kadima se torne a segunda primeira-ministra na história do país. Logo depois de receber de Peres o documento formalizando a incumbência, Livni declarou: "Eu aceito a missão a mim incumbida de formar um novo governo."   Veja também: Ehud Olmert entrega carta de demissão a Peres Livni terá que provar resistência política Gustavo Chacra: Livni está nas mãos de Barak    Livni sucede o ex-premiê Ehud Olmert como presidente do Kadima após uma votação interna na semana passada. Olmert, acusado de usar caixa-dois eleitoral, formalizou sua renúncia no domingo, mas deve permanecer no cargo até a formação do novo gabinete. Na quarta-feira, Livni havia vencido a apertada eleição para a liderança do partido Kadima, o que a torna sucessora natural do primeiro-ministro. Ainda nesta segunda, ela pediu ao líder do partido direitista Likud, Benjamin Netanyah para que se juntasse ao governo de unidade. Livni terá até 42 dias para formar uma nova coalizão. Se não conseguir formar o governo, deve ser convocada uma eleição parlamentar.   Na noite de domingo, Livni esteve com o ministro da Defesa, Ehud Barak, líder do Partido Trabalhista, segundo maior do Parlamento, para negociar uma aliança.   Na véspera, Barak esteve com Netanyahu, num sinal de que os trabalhistas podem buscar uma alternância de comando. As pesquisas apontam o favoritismo do Likud numa eventual eleição antecipada. "Foi uma reunião boa, de negócios", disse Barak a jornalistas depois do encontro com Livni. Ele disse que haverá um novo encontro.   Livni ganhou respeito por ser favorável a acordos de paz com os palestinos e a Síria, ao mesmo tempo em que se distanciava do impopular Olmert.  

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelEhud OlmertTzipi Livni

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.