Presidente de Israel reunirá partidos antes de escolher premiê

O presidente israelense, Shimon Peres, se reunirá com líderes dos partidos na quarta-feira antes de decidir quem terá o direito de formar um novo governo após eleições que não definiram o novo líder no Parlamento, segundo um comunicado divulgado nesta terça-feira. A ministra do Exterior, Tzipi Livni, líder do partido centrista Kadima, e o líder do partido direitista Benjamin Netanyahu (Likud) reivindicam assumir o posto de primeiro-ministro depois das eleições de 10 de fevereiro. O Kadima conquistou 28 dos 120 assentos do Parlamento, contra 27 do Likud. Apesar da vantagem de Livni, Netanyahu comanda o maior bloco de partidários. Pela lei israelense, Peres nomeia o candidato à premiê. Ele iniciará consultas com membros dos doze partidos eleitos após receber os resultados oficiais das eleições, na quarta-feira à noite, de acordo com seu gabinete. Primeiro, Peres se encontrará com membros do Kadima e do Likud, e consultará os outros partidos na quinta e sexta-feiras, disse o comunicado. Peres tem até o dia 25 de fevereiro, de acordo com a lei, para nomear um parlamentar, que se tornará primeiro-ministro se conseguir formar uma coalizão. O candidato tem 42 dias para formar um novo governo e deve, então, conquistar a aprovação do Parlamento. Livni e seus aliados disseram que não se juntariam a um governo liderado por Netanyahu. Netanyahu insiste que ele deve ser o primeiro-ministro e diz poder formar um governo sem o Kadima e com o apoio de um bloco direitista de 65 parlamentares. Parlamentares de esquerda e de centro, possíveis aliados de Livni, conquistaram 55 assentos e nem todos se comprometeram em apoiá-la. A decisão de Peres pode depender em quem o maior partido direitista, Yisrael Beitenu, com 15 cadeiras, recomendar como premiê. O partido ainda não anunciou sua preferência e tem debatido sobre a escolha. (Reportagem de Allyn Fisher-Ilan)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.