Presidente do Afeganistão escapa ileso de atentado do Taleban

Hamid Karzai participava de cerimônia oficial em comemoração ao 16º aniversário da queda do regime comunista

Reuters e Efe

27 de abril de 2008 | 09h38

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, escapou ileso de uma tentativa de assassinato no domingo por guerrilheiros do Taleban, que atiraram e lançaram foguetes em uma cerimônia oficial na capital Cabul. Karzai, ministros do governo, chefes militares e diplomatas conseguiram se proteger após ouvirem o barulho de tiros na cerimônia do 16º aniversário da queda do governo comunista afegão. Mais tarde, Karzai apareceu na televisão estatal para reassegurar aos cidadãos que ele estava bem. "Hoje, os inimigos do Afeganistão, os inimigos da segurança e do progresso do Afeganistão tentaram interromper a cerimônia e causar desordem e terror", disse Karzai. "Felizmente, as forças de segurança do Afeganistão os cercaram rapidamente e prenderam alguns suspeitos", disse. O Taleban, que reivindicou responsabilidade pelo ataque, disse que três de seus integrantes foram mortos. O embaixador britânico, sir Sherard Cowper-Coles, estava na fileira da frente na plataforma da cerimônia, ao lado do enviado dos Estados Unidos a Cabul. Todos os membros do gabinete de governo e diplomatas estrangeiros no evento, assim como o general Dan McNeill, comandante norte-americano das forças internacionais do Afeganistão, saíram ilesos e passavam bem, informou um porta-voz do Ministério da Defesa. Mas uma pessoa morreu e outras 11 ficaram feridas, incluindo um membro do Parlamente, informou o porta-voz. Os tiros e foguetes do Taleban aparentemente vieram de um prédio a centenas de metros de onde acontecia a cerimônia, em uma estrada que geralmente é bloqueada para eventos e paradas oficiais, perto do palácio presidencial. "Três de nossos atacantes foram mortos e três conseguiram escapar. Pequenas armas e RPGs (granadas lançadas por foguetes) foram usadas no ataque", disse o porta-voz do Taleban, Zabihullah Mujahid, à Reuters, de um local não divulgado.   Organização Islâmica   A Organização da Conferência Islâmica (OCI), integrada por 57 países, condenou fortemente o que chamou de "atentado terrorista".   Em nota, o secretário geral da OCI, Ekmaledin Oglu, disse que enviou um telegrama a Karzai em que expressou sua "condenação dessa ação terrorista e as condolências pelas vítimas".   Da mesma forma, reiterou o apoio da OCI "aos esforços do governo e do povo do Afeganistão para estabelecer a paz e conseguir a prosperidade do país".   Texto atualizado às 16 horas

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoHamid Karzai

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.