Presidente do Irã diz que não hesitará em defender santuários xiitas no Iraque

O Irã não vai hesitar em defender os locais sagrados dos muçulmanos xiitas no vizinho Iraque contra "assassinos e terroristas", disse o presidente iraniano, Hassan Rouhani, nesta quarta-feira, depois de rápidos avanços dos militantes sunitas no território iraquiano na semana passada.

REUTERS

18 de junho de 2014 | 08h12

Falando ao vivo na televisão, Rouhani afirmou que muitas pessoas se apresentaram para ir ao Iraque defender os santuários e "colocar os terroristas em seu lugar". Ele acrescentou que os combatentes veteranos das comunidades iraquianas sunitas, xiita e curda estão também "prontos para o sacrifício" contra essas forças militantes.

"No que se refere aos lugares sagrados xiitas em Karbala, Najaf, Khadhimiya e Samara, nós anunciamos aos assassinos e terroristas que a grande nação iraniana não vai hesitar em proteger santuários", disse ele, falando a uma multidão durante uma visita à província ocidental de Lorestan.

Rouhani declarou no sábado que o Irã nunca enviou quaisquer forças para o Iraque e é bem improvável que faça isso algum dia. Mas diplomatas ocidentais suspeitam que o Irã mandou tempos atrás ao país vizinho alguns integrantes de sua Guarda Revolucionária, unidade linha-dura que atua em conjunto com o Exército, para aconselhar o Exército iraquiano e as milícias que as apoiam.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAIRAQUEXIITAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.