Primeiro-ministro israelense lamenta morte de família em Gaza

Olmert diz que Exército investigará ataque contra casa que matou quatro crianças e a mãe na segunda-feira

REUTERS

29 de abril de 2008 | 07h54

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, lamentou nesta terça-feira, 29, a morte de uma mulher palestina e quatro de seus filhos em um ataque à Faixa de Gaza. Ele disse que o Exército está fazendo uma investigação a respeito do caso.   Veja também:   Ataque mata quatro crianças palestinas   Milícias disparam foguetes contra Israel após morte de família   Israel detém pelo menos 64 palestinos na Cisjordânia e em Gaza "O Estado de Israel e o governo de Israel lamentam profundamente quando qualquer civil ou não-combatente é ferido, particularmente quando se trata da mãe e das quatro crianças que foram mortas", disse Olmert a seu gabinete, durante sua reunião semanal. "Ainda não sabemos as circunstâncias exatas. Elas serão investigadas pelo Exército, que vai publicar as descobertas exatas sobre o incidente", disse ele. Os moradores da cidade de Beit Hanoun, no norte de Gaza, disseram que um ataque israelense atingiu uma casa de família, matando seis pessoas, incluindo a mulher e seus filhos. O Exército israelense contestou a atribuição de culpa, descrevendo as mortes como trágicas e dizendo que ocorreram quando um ataque aéreo abriu fogo contra dois militantes que carregavam malas com munições que explodiram e destruíram a casa. Os moradores disseram que nenhum militante foi morto na explosão - os israelenses dizem que o ataque era destinado a militantes que lançam foguetes contra Israel, pelo lado da fronteira controlado pelo Hamas. Olmert disse que os militantes do Hamas operam em áreas bastante populosas de seu território, tornando os civis palestinos "uma parte inseparável desta guerra" e expondo-os ao perigo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.